quarta-feira, 29 de julho de 2015

Aoharu x Kikanjuu #2-4


Depois de protelar bastante, decidi voltar à acompanhar o anime.


Tachibana é a melhor [ou o melhor] personagem do anime. Os monólogos dela em relação ao sexo dela são muito engraçados.

No segundo episódio somos apresentados à Yukimura. Muito duas caras! Traiu a Tachibana e na cara dura confessou sem se sentir culpado. Porém, como a Tachibana é um amorzinho, ela quebrou o gelo dele. 

Ser traído por amigos deve ser uma coisa muito ruim. Não que nunca fui, mas conheço uma pessoa que sofreu algo parecido, porém não foi tão intenso. Eu consigo entender o Yukki. Quando uma pessoa que é rejeitada encontra uma pessoa simpática ou que quer aproximar-se, ela perde os limites. Cada vez mais que a amizade é apresentada, o rejeitado (vamos chamar de Xuxa) começa a sugar cada vez mais a o outra pessoa (vamos chamar de Dolly). Isso faz com que a Xuxa crie um complexo de exclusividade, achando que Dolly é propriedade dela e que deve estar sempre disponível para a escutar. Isso é tão grave que a Xuxa pode criar até paranoias que Dolly não quer ser seu amigo mais, sofrendo. E isso afasta, realmente afasta, e não é legal.




Masamune é uma pessoa muito boa por aguentar Yukki, se Yukki foi tão longe em querer separar Tachibana dele, imagina como ele deve sufocar Masamune. Pelo menos chegou alguém para equilibrar as coisas. 

Esse lance de trauma é muito sério. Eu acho que Yukki é órfão, por que se não fosse, os pais seriam muito desnaturados por não o levar à um psicólogo! Além de não querer alguém novo com Masamune, ele não queria fazer novos amigos. Mas ainda bem, com seu senso de justiça, Tachibana encontrou uma maneira de mudar Yukki. Agora os três são amigos, mas mesmo assim Yukki é duas caras, quem pode prever o que ele pode fazer mais tarde?

Ah, e sem falar da parte que Masamune ia trocar a blusa da Tachibana, foi muito engraçado como ela fugiu! E eu acho que a parte dela entrar no banheiro feminino foi sem sentido, se todo mundo a confunde como homem, o que aconteceria se uma mulher estivesse no banheiro? Se ela explicasse, ia se dar mal com o Matsuoka. Talvez ela teria a mesma reação que teve quando encontrou Yukki quando saiu do banheiro.

No final do episódio, a gente vê como os ideais de Tachibana a dirigem. Duvido se os adversários não debochassem dos seus companheiros ela teria a atitude de dar um berserk e dar um tiro na testa do inimigo. OUSADA EIN!


COMO ALGUÉM SENTE PESSOAS???????

No terceiro episódio, Tachibana consegue pagar seu débito com Matsuoka, mas sente-se com um vazio no peito. Queria voltar aos jogos. Gostei do escritor não continuar com o débito. Ia ficar batendo toda a hora na mesma tecla, tipo o arco Fairy Dance de SAO, que o assunto só era Asuna.

Mas a partir daí somos apresentados ao Top Gun Challenge. Muita ingenuidade deles de achar que a Tachibana ia conseguir os ajudar a ganhar. Tá mais para um tapa-buraco mesmo. Mas se treinarem-na, com certeza vão conseguir um resultado melhor.



Depois entram aquele médico e o amigo dele na história. Já temos os vilões, não? Quero ver que treta separa os dois grupos, porque Masamune não quer ganhar só a disputa, quer ganhar do time desse médico. Mas pelo o que ele fez com Yukki, chamou Tachibana de tapa-buraco pelas costas e ainda subestimou o grupo dando a melhor arma para a Tachi quebra barraco, a gente já entende que esse é mal comunado.



No final das contas, Tachi pegou a melhor arma, começou a treinar com o grupo e perdeu todas, ainda chamou Masamune e Yukki de arrogantes. Como resposta, Masa tira ela da Toy Gun Gun e coloca no grupo vermelho. Se ele não quisesse que ela treinasse, ele já a tinha despensado, mas não fez isso. Com certeza ele está com raiva, mas ainda gosta dela, deve estar planejando algo.

Como já disse Masamune é uma pessoa muito boa, se ele aguenta Yukki nas costas, com certeza vai relevar o que a Tachibana disse... Espero né.

0 comentários:

Postar um comentário